O projeto de urbanização para a Praça do Cinema Glauber Rocha e para a Ladeira da Barroquinha levou em consideração, entre outros aspectos, a importância do patrimônio histórico edificado e a conciliação dos diversos usos existentes e desejados para esse importante eixo de ligação no Centro Histórico da Capital da Bahia.

A Praça, pela sua situação elevada em relação ao entorno, tinha como vocação natural se tornar um mirante tanto para a Igreja da Barroquinha como para a Baía de Todos os Santos.  Já na Ladeira, haviam dois tipos de público: os que saem do terminal de ônibus em direção ao Centro Histórico e querem seguir direto, e os que querem frequentar o comércio de couro artesanal com menos pressa.

 

 

O desenho dessa grande escadaria é, portanto, o resultado da organização dos usos; uma confortável escada contínua que permite uma caminhada rápida e que se desdobra em uma sequência de platôs que insinuam um caminhar mais lento.

Os materiais escolhidos são os mesmos encontrados em todo o Centro Histórico ou seja, pedra portuguesa no piso e granito maciço nas soleiras. Os cortes do granito em grande parte curvos, foram feitos todos à laser – uma maneira de expor o tempo do projeto através da técnica usada sobre um mesmo material do passado.

 

Cliente: Banco itaú / Prefeitura Municipal de Salvador
Data do projeto: novembro de 2013
Área total Construída: 2 440,00 m²
Projeto de Arquitetura:
Gustavo Cedroni, Martin Corullon.
Colaboradores:
Marcelo Macedo, Miki Itabashi, Rafael de Sousa,Isadora Marchi, Luiz Tavares, Flavio Bragaia.
Luminotécnica: Ricardo Heder.
Paisagismo: Ricardo Vianna.
Instalações: P.K.M. e Usina de Projetos